sexta-feira, 31 de julho de 2009

Último dia

Hoje é o último dia. O último dia antes de amanhã. O último dia em que fecho os olhos demasiado cansados de hoje. O último dia em que a nostálgica dor me remete para o mar infinito da saudade.
Pode não ser muito. Questiono-me se tem alguma importância este facto solto numa vida feita de momentos dispares. Mas hoje eu sei que te amei como nunca ninguém te amou. Tanto, que me custa a crer que uma pessoa, qualquer pessoa deste mundo, tenha amado outra com a mesma intensidade com que eu te amo.

Marina Ferraz

3 comentários:

Anónimo disse...

Tenho a dizer-te simplesmente que admiro a tua imensa capacidade de expressar em palavras parte daquilo que sentes. Nunca deixes de escrever por maior que seja a dor, por maior que seja a tristeza, por maior que seja o amor...

aorpheu disse...

Nunca o dia 31 de Julho poderia ser o último! Mas sim o primeiro de muita coisa nova... Eu acredito em ti. Muito.

MIDTCLA disse...

nãopode um poeta deixar assim... amo tanto, que tu escreves me enlio nos novelos de teus escritos que me sinto personagens lindooo amoooo