domingo, 16 de setembro de 2012

Primeiro dia



O primeiro dia é um dia igual aos outros. Talvez se imagine que seja um dia de sol. Talvez se imagine que o mar vai clarear e ganhar três tons distintos. Talvez julguemos que, nesse dia, vamos correr serras e prados ou descalçar os pés na areia e receber o toque do mar. Mas não. O primeiro dia é um dia igual aos outros.
Dar o coração pela primeira vez a alguém não pesa. Quem nunca sofreu por amor não teme a conclusão abrupta nem o inferno de uma separação precoce. Então, o primeiro dia é como todos os outros dias, só que, sendo o dia onde nasce o primeiro amor, um coração foge do peito de alguém e o nosso destino passa a ser carregado nas mãos de outra pessoa.
São sorrisos e flores. Saltos e gritos. Histórias e momentos. Talvez se imagine que vá ser o melhor dia da vida de alguém ou o principio inabalável de um "para sempre". Mas, de alguma maneira, o primeiro dia em que amamos é só mais um dia para guardar no meio de tantos outros dias.
Ainda assim, para alguns românticos, o primeiro dia é eterno. E a data, nunca guardada em agendas ou calendários, perpetua-se na memória e estende-se aos cantos mais loucos da imaginação.
Depois, nesse mesmo dia, todos os anos, o lugar vazio onde um dia tivemos um coração que podíamos chamar de "nosso", dói um pouquinho na ausência de quem tanto o fez bater.
E, embora seja um dia igual aos outros, olhamos para as fotografias, apenas para descobrirmos que, nesse dia, o primeiro dia, o sol brilhava e o mar clareou a ponto de ganhar três tons distintos. E que corremos por serras e prados, molhámos os pés na água gelada do oceano, fomos felizes. Mas não é isso que torna o primeiro dia diferente dos outros dias. O que o torna diferente é que, mesmo que os anos tenham corrido, pensar nele ainda nos arranca um sorriso.
O primeiro dia em que damos o coração é um dia igual aos outros. Um dia que poderá acontecer a qualquer momento, para qualquer pessoa. Mas, de uma forma inexplicável, o primeiro dia marca um momento único: o momento em que, por forças maiores do que os homens, a nossa vida passou a ser vivida por alguém.
O primeiro dia é um dia igual aos outros, sim. Só que ao contrário de todos os outros, também é um dia que se repete em nós todos os dias.

Marina Ferraz
*Imagem retirada da Internet

3 comentários:

Anónimo disse...

É um texto incrivel,como todos os outros,amei.
Parabéns <3

Dulce Morais disse...

Muito sentido! Gostei desta definição desse primeiro dia de amor!

Fernanda Victoriano disse...

Incrível, adorei. Conheci o blog a pouco tempo mas já amo.