quinta-feira, 26 de março de 2009

“Fica para amanhã”

Hoje a agenda está cheia. Não tenho um minuto para te dizer o quanto gosto de ti. Hoje não posso amar-te, não tenho tempo para sentir. Tenta entender. Os dias repetem-se. Todos os anos. Seguidos naquela lógica infernal: mês, semana, dia, hora…
Tenho repletas as páginas da minha agenda. Compreende, amor. Hoje não posso, como ontem não pude e antes também não. Não tenho tempo para essas coisas…
Ontem, tinha posto na agenda que às dez horas e um minuto da manhã, naquele minutinho exacto, ia pensar em ti. Ia pensar que te amava. Se tivesse tempo suficiente, mandar uma mensagem só a dizer que te quero, que te amo, que és tudo na minha vida. Mas ontem, logo ontem, o relógio parou às dez horas e não te dei um pensamento. Nem me lembrei! Tenta entender!
Há quanto tempo adiámos o nosso almoço para “amanhã”? Já não me lembro! Uns meses? Uns anos? “Fica para amanhã, então” – lembro-me de dizer e tu suspiraste, o suspiro soou triste e replicaste apenas “Sim, amanhã…” Há quanto tempo foi isso?
Hoje a agenda está cheia. A agenda está cheia e eu estou cansada. Como um ser automático sigo as ordens que as palavras rabiscadas nas folhas numeradas me indicam. Como não tenho um minuto livre para pensar, o relógio avança, devagar é certo, mas avança…
O nosso almoço está marcado para “amanhã”. O amanhã é o dia que está depois do dia que é sempre o “hoje”. O amanhã está sempre a um dia de distância e nunca chega… Mas “amanhã” estarei contigo.
Às vezes questiono-me porque não entendes. Porque não vês que tem de ser assim? Se eu tivesse um minuto, ele seria teu. Amo-te tanto!
Tenho marcadas na minha agenda as seis horas que vou dormir. Já devia ter adormecido por agora! Não posso atrasar-me amanhã. Mas agora tenho a cabeça cheia e ninguém para me ouvir. Os olhos preenchem-se de lágrimas que não verto e adormeço assim.
Às seis em ponto o despertador toca. Levanto-me e olho a agenda. Hoje a agenda está cheia. Não tenho tempo para te ver, quanto mais para me sentar e almoçar contigo. Tenho saudades tuas mas tenta entender… não posso! Fica para amanhã… está bem?

Marina Ferraz
*Imagem retirada da Internet

4 comentários:

Anónimo disse...

Só precisas ter tempo para quem gostas e para aquilo que gostas... o que está escrito não interessa, se não fizeres hoje fazes amanhã. Agora as pessoas não ficam para sempre e de um momento para o outro perde-se a oportunidade de dizer aquilo que realmentes sentimos!
Já não é novidade mas adoro o texto! :)
Espero que continues a gostar tanto de escrever como eu gosto de ler o que escreves!

bjinho,
Tânia

Anónimo disse...

(fogo... vamos lá ver se é desta :D tem estado difícil ultimamente para conseguir comentar)
"Fica para amanha.", "Pode ser amanha?" "Tenho outras coisas para fazer. Amanha?" "Amanha" "Amanha" "Amanha"... e é assim que vamos passando muito tempo, sempre a adiar o que mais é importante e as pessoas que mais gostamos.Nao deixes que isso tambem te aconteça; gosto muito deste texto (é bom que continues a escrever :) , acho que é o que mais senti até hoje.

Beijo
Rui Saraiva

José Raposo disse...

Não deixes para amanha o que podes fazer hoje!!!

Ana Pinto disse...

O tempo atravessa-se nas nossas vidas sempre apressado. Sem parar. Por isso muitas vezes deixamos para tras coisas que gostariamos de ter feito, adiamos um dia, adiamos outro dia, outro e mais outro... Nao devemos adiar o qe precisamos de fazer, nao devemos a adiar nada porqe o tempo avança rapido, e um dia o tempo esgota se.
Faz uma pausa nesse tempo qe corre e faz o qe ja ha muito tens adiado ;)

Gostei muito mesmo do texto, porqe demonstra a sufocante rotina do dia a dia em qe muitas vezes esqecemos do tempo para qem mais gostamos...

Beijinhos*****