segunda-feira, 21 de abril de 2014

Vem


Tu disseste "vem" e eu fui. Fui, mesmo sabendo que me abandonarias a meio do caminho. Fui, mesmo sabendo que esse era um trilho sem retorno. Fui. Tu disseste "vem" e eu fui.
Fui ser feliz na ilusão inconsciente e triste na mágoa constante das coisas que, pela força da repetição, deixaram de se transformar em ilusões. Mas fui, mesmo assim. Entre ilusões mágicas e certezas cruas, levantei-me do conforto da solidão e fui... Fui porque, por entre o amargo do silêncio, disseste "vem" e eu quis ir.
Tu disseste "vem" e eu fui. Fui pelos trilhos mais árduos, pelas estradas mais longas. E deparei-me com as tuas falésias e as tuas muralhas. Fui, empunhando a força. Andando contra a corrente. E lutei contra os teus medos, mesmo quando espicaçavas os meus. Afastei os teus fantasmas, mesmo quando, zoando de mim, fazias ecoar no meu espírito as vozes da desconfiança e do apego triste a coisa nenhuma.
Tu disseste "vem" e eu fui. Fui, na loucura de mil passos descontentes, na consciência do fim perpétuo. Sabendo dos espinhos. Sabendo da queda. Sabendo da ferida aberta e das cicatrizes que ficam depois da ferida sarar. Fui. Disseste "vem" e eu fui.
Alguns diziam "não vás". Nunca achei que os devesse ouvir. Não ouvi. Fui. Fui porque a tua voz sozinha ecoava em mim mais alto do que as multidões. Fui, porque ouviria sempre um sussurro teu mais alto do que o grito do mundo. Dizias "vem". E eu fui...
Não foi um caminho muito longo, embora tenha durado tanto mais do que o tempo dos meus passos. Um dia, olhei para o lado e já não estavas. Olhei para trás, para os anos idos e as ilusões desfeitas. E sorri. Talvez um sorriso triste, talvez um sorriso de lágrimas na alma. Mas sorri, olhando para a estrada, olhando os pés cansados do caminho e o coração forte e magoado.
Fui. Tu disseste "vem" e eu fui. Fui e, de repente, não estavas lá. E talvez, no início, eu tenha vindo por ti. Mas o que importa não é o motivo que me fez caminhar até aqui. O que importa é que cheguei. Cheguei por entre mágoas e desilusões, a lugares que nem sabia que existiam antes de me dizeres "vem". E, afinal, nem era por ti.
Disseste "vem". Eu fui. E ainda bem...

Marina Ferraz
* Imagem retirada da Internet

4 comentários:

MIDTCLA disse...

indescritivel..,to...Ai...fui tocada por este sentimento magico...

Jessica A. disse...

Texto maravilhoso, muito profundo :) ♥

MIDTCLA disse...

A cada releitura uma interpretação e as lagrimas deramam e fas escorer para lavando o momento...

MIDTCLA disse...

A cada releitura uma interpretação e as lagrimas deramam e fas escorer para lavando o momento...