quarta-feira, 19 de março de 2008

Silêncio


As palavras são feitas de silêncio, Leonor...
Eu, por exemplo, queria falar e todas as minhas mudas palavras se calam num olhar ou num gesto mais dorido, construído na mágoa do silêncio.
E depois, quando sem razão ele é quebrado por outra voz, eu minto e digo que não há palavras por proferir.
A vida é assim, meu amor, fica tanto por dizer... Ás vezes calamos a voz dos nossos próprios sentimentos e pensamos que existe sempre o amanhã para dizer o que não conseguimos dizer hoje. Mas o amanhã é feito de silêncio... porque amanhã nenhuma das palavras que hoje tinhamos para dizer fará sentido.
Sabes, Leonor?... é estranho amar alguém no silêncio de palavras que foram proibidas pelo tempo e pelas pessoas que o tempo tratou de pôr na nossa sina.
A palavra mais difícil de dizer é “amo-te”... sabias? Normalmente, em vez de falar de amor, fechamos os olhos e damos tudo o que somos. Porque é mais fácil envolver dois corpos no silêncio do que envolver a alma na promessa que fica em cada palavra proferida.
Eu já nem tenho medo da solidão dos meus silêncios. Trato as memórias trocistas como se fossem amigas de longa data e o vazio que ficou como a imensidão de tudo o que um dia tive.
As minhas palavras são silêncio, meu anjo, e quanto mais falo mais percebo que há um mundo de coisas por dizer. Porque tudo o que é realmente importante fica sempre para dizer amanhã e o amanhã nunca mais chega.

Marina Ferraz
*Imagem retirada da Internet

7 comentários:

Lau disse...

Lindo... que dizer...
Que já não acredito nas promessas feitas com as palavras, porque já me quebraram muitas... Mas isso faz parte da vida.
Quanto ao "amo-te" também concordo que seja uma das palavras mais difíceis de dizer (tal como o desculpa e o adeus) e só a disse uma vez na vida, a uma pessoa.
Agora penso: será qe essa pessoa deu valor a isso? Não sei... Mas o sentimento, por mais que o menosprezem e desvalorizem, parece que vai crescendo com o passar do tempo... E cada vez há mais gente a tentar espezinhá-lo... Mas como eu costumos dizer: quem sai do meu coração, raramente lá volta. Mas quem entra...fica!
Beijo, adorei mesmo o post, só para variar.
És uma fofa!

Raquel disse...

Como já te tinha dito este texto tá qualquer coisa. Tá mesmo muito lindo!
É verdade fica sempre muito por dizer, mas enquanto tiveres oportunidade para dizeres diz. Não percas oportunidades de fazer ou dizer seja o que for, sabes pk? Chega a um dia em que te vais arrepender de não o ter feito e uma pessoa começa a sentir-se frustrada. E é um sentimento tão mau...
Magoa quem tiveres de magoar, faz feliz quem o tiveres de fazer..mas não deixes nada para amanhã.
E sim a palavra amo-te é a mais difícil de dizer, e uma das mais especiais.. so tenho pena que alguns a gastem como se de um não ou sim se tratasse!
E olha, embora as memórias nos façam sofrer,porque nos pomos a pensar no que foi o nosso passado e na "merda" que está a ser o nosso presente, ao menos pensa que se as tens foi porque viveste coisas fantásticas e em algum momento foste feliz! Na maior parte dos casos o que fica é são as memórias!

Bjs

p.s. para variar nao disse nada de jeito, mas pronto!

Anónimo disse...

Quantas vezes eu ja me calei e fiquei a espera do amanha que nunca veio... Tu sabes que eu adoro (basicamente) todos os teus textos mas este tocou-me bem la no fundo!
Continua...
bjinho gand
Tânia

herlander disse...

Cmo smp esta divinalmente escrito. sensatas palvras envoltas na mais pura das verdades. ja vai sendo tempo de ganhares 1 nobel da literatura ou premio pulitzer.. alguem n anda a fazer o seu trablho de escolha dos vencedores cmo deve ser.. mas enfim. sem duvida, na ha palavra mais dificil de se dizer k "amo-t", so lamento k a unica rapariga a kem eu o verdadeiramente dixe tenha dado o seu valor kando ja tenha saido definitivamente do meu coraxao.. a tua escrita toca tds os seres k tenham 1 minima alma capaz de compreender a profundidade da tua escrita. e n te digo isto por te adorar e ser 1 grd fã teu de longa data, mas pk realmente cmo tu não ha ninguem. gosto mto de ti miguxa. bjinhos

silvéria disse...

"A palavra mais difícil de dizer é “amo-te”... sabias?"

Sim, eu sabia! É difícil de dizer mas engraçado que, às vezes, quando o ouvimos de volta ficamos a pensar se foi dito porque foi sentido ou se foi por obrigação, como quando dizemos "Obrigada" e nos dizem "De nada!". Talvez o melhor seja senti-lo nos olhos de quem o diz ou escreve, no sorriso, sei lá!
E é pena que nem sempre o possamos dizer por diversos motivos e principalmente quando é porque o outro não o merece ouvir!

Enfim...só para dizer que as babes de CC escrevem mesmo bem carago!!

Sandra disse...

O silêncio pode dizer muito mais do que muitas palavras...

O silêncio pode ferir muito mais do que espadas encravadas no peito...

O silêncio pode até matar...

Mas, por vezes, o silêncio pode ser a melhor solução... Há palavras que jamais devem ser proferidas...

Há palavras que, por mais que desejássemos proferir, jamais o podemos fazer, pois, felizmente, ou infelizmente, as nossas palavras têm demasiados poderes!!

O amanhã pode ser tarde, mas... :S

Ok... Jã não sei que mais te diga... Adoro o que escreves (acho que já sabes disso, sra. autora Marina Raquel Matias Ferraz!!)

GMDT!!

Bjs. Mágicos ***

IpsaEgo disse...

A Viviane tem uma música que diz "tenho tanto por dizer, tanto por te contar, que a vida não chega..." O Pedro Abrunhosa tem uma música que diz "quem me dera poder conhecer esse silêncio que trazes em ti..."
Mas olha que amo-te não é o mais dificil de dizer. Aliás, nós nascemos para amar. O complicado está no destinatário. O dificil é dizer amo-te a alguém que queira e possa ouvir o nosso grito de silêncio. As palavras são, de facto, feitas de silêncio. De silêncios, que não aguentando mais, explodem em rimas onde o amor versa com os momentos de suspensão da vida.
Guardamos muito do que somos no silêncio. Porque a vida é muito pequena para dizer todas as palavras que queríamos e, então, por isso, muitos são os que não começam a transmissão com medo de que ela acabe antes de passarmos o cerne da mensagem. Tu estudas comunicação, sabes o quão difícil é transmitir, é significar, é fugir aos equívocos e ruídos do nosso mundo. Mas por estudares comunicação também sabes que o silêncio comunica. Que no silêncio olhar para a frente e ver que há castanho nos olhos que nos olham. O silêncio diz-nos um mundo, se o soubermos ver. Nem que seja a dizer-nos para procurar as palavras, ainda que noutro livro. O poeta nunca morre, nunca.
Amo-te não é um trava-línguas. E essa entrega de que falas, o darmo-nos na adrelina do sangue, é tudo menos silêncio. É grito de tudo o que calamos, mas que não devemos. Porque quando beijamos, conversamos. Porque quando abraçamos, deixamos um segredo ao ouvido do outro. Porque quando tocamos, dedilhamos a lira do êxtase.
A mágoa, a dor, a solidão não são feitas de silêncio. São feitas de choros e de lágrimas a cair no chão da imensidão.
Por muito que calemos um amor, o silêncio não o vai suprimir. O amanhã chega, muitas vezes, na expressão de uma folha em branco (que nada tem de silêncio).
E depois, depois não há quem cale a voz que se cruza na noite, com a música que sai dos nossos olhos.

Gosto do silêncio, porque no silêncio, ao darmos a mão e o corpo, num abraço de não-fim, conseguimos ouvir o sangue a correr nas veias do outro, o coração que bate, o pestanejar... Porque no silêncio, somos nós e a vida que escolhemos. Um amor não se cala. Um amor, ainda que tenha que viver no silêncio, é um não definido estado de alma rasgada. E daí, tudo brota, minha amiga.

goxmuiti