terça-feira, 6 de novembro de 2012

Respira fundo



Respira fundo. O mundo vai ser injusto, por vezes. A vida é mesmo assim. Ninguém pode entrar nela sem esperar sofrer um pouco. Ninguém pode evitar os contratempos. Ninguém pode contornar as barreiras que aparecem no caminho.
Mas respira fundo. Porque podes saltar cada barreira e correr rumo à felicidade que mereces. As pessoas não são definidas pelos erros nem pelas desilusões. São definidas pela alma que se mantém firme e real, mesmo quando o mundo aponta o dedo ou pisa, sem razão.
Respira fundo e fecha os olhos. Tudo o que precisas de ver está dentro de ti. Por isso procura. Procura essa dimensão de ti que te dá razão sobre o que quer que venha. Procura a parte de ti que te torna superior às injustiças. Tenho a certeza de que encontrarás dentro de ti a peça chave que te torna maior do que as maiores coisas.
Não duvido nem por um segundo. Não duvido nem que me apresentem as mil justificativas que comprovam teses diferentes da minha. Não duvido que sejas mais e melhor do que as injustiças com as quais tecem as histórias que circulam por entre os Universos de mesquinhez. E não importa o que ninguém diga. Não importa o que ninguém pense. Sei, porque o sinto, que a vida é somente a tela na qual pintamos a história. E a história não é um ponto de vista. A história é a complexidade do que fica além do que uma ou outra pessoa vê em nós.
Respira fundo. Respira fundo e ouve a tua própria voz. Deixa que ela se erga, completa e inquebrável. E ouve-te a ti. A minha voz, só mais uma por entre tantas vozes, também não importa. Ignora-a. É a tua própria voz que tens de ouvir.
Então, faz assim: respira fundo e respeita o que essa voz te disser. Respeita-a além de tudo, apesar de tudo e independentemente de tudo. O mundo vai ser injusto. Mas a tua alma e o teu coração, mesmo que te digam coisas duras de ouvir, serão simplesmente reais. Ouve o que eles têm a dizer...
Respira fundo. O mundo é mesquinho e as pessoas, por vezes, ridículas e injustas. Mas respira fundo e segue. Ouve a tua própria voz. E nunca, por nunca ser, deixes de tentar ser feliz. 

Marina Ferraz


*Imagem retirada da Internet (autoria de Paulo Freiras)

4 comentários:

Anónimo disse...

Adorei o texto,é perfeito.
Parabéns *-*
Beijinhos Jenny

Om disse...

Compartilho mari!
http://www.meditacaoedinheiro.com.br/por-qual-razao-voce-se-levanta-para-trabalhar/

Tânia disse...

Digo isto a mim própria muitas vezes. :) Acho que é talvez a coisa mais importante a relembrar a nós mesmos. Já é Terça-Feira outra vez? ;)

Anónimo disse...

Gostei muito do texto.
Parabéns!!!
Att. Rômulo Dayan