terça-feira, 14 de maio de 2013

A tua beleza



Tu és bonita. Aliás, tu és lindíssima. A tua beleza, de pés descalços e rosto puro, embate contra os olhares de uma forma tão brusca que é preciso olhar duas vezes. As pessoas são encadeadas pelo teu brilho. E quando sorris. Quando sorris, dessa forma inocente e meiga, fazes brilhar os olhos do sol e o dia estende-se por mais horas, sem permitir o avanço da escuridão.
Caminhas levemente. Como se deslizasses. E fazes com que estranhos olhem para ti e se agarrem à memória vã da tua passagem, como se isso lhes melhorasse o dia. Mas tu andas, pé ante pé, com uma simplicidade tão pura que nem o notas.
Tu és bonita. Mesmo sem saltos altos. Mesmo sem maquilhagem. Mesmo sem te esforçares por combinares roupas e malas e sapatos. És bonita justamente porque, quando passas, lembram-te a essência e não o pormenor.
Ao chegarem a casa, as pessoas dirão que se cruzaram contigo. Daqui a cinquenta anos perguntarão onde andarás. Ninguém saberá dizer com precisão o que vestias ou se te tinhas maquilhado naquela manhã. Dirão "cruzei-me com a mais bonita de todas as meninas e o seu rosto ficou gravado, da mesma forma que se gravou um sorriso na face da lua". E dirão isto com a imagem incerta de ti. Daqui a mil anos ainda contarão lendas sobre a tua beleza intemporal.
A tua beleza não mora no artifício mas antes na leveza do sonho. Mora na simplicidade. Não está no que vestes porque tornarias moda o que quer que vestisses. Não mora no estilo porque ninguém se incomoda se saíres de casa com a primeira roupa que apanhaste à mão. A tua beleza derrete no olhar, escorre na pele, sorri nos lábios de cereja. E envolve o teu corpo, sublinha-te os traços e imortaliza-te nesta era de efemeridades.
Tu és bonita. Aliás, tu és linda. Dirão por aí o que quiserem. Poderão atirar-te pedras e palavras de ódio e inveja. Poderão macular a perfeição pura do teu rosto com lágrimas. Mas, olha para mim, ouve o que te digo. Tu és linda, meu amor. Não ligues ao mundo. Haverá sempre sombras a tentar quebrar as estrelas. Porque elas têm luz própria e essa luz, a mesma luz que se espelha e arranca sorrisos pelo universo, cega quem não sabe ver além da sua própria escuridão.

Marina Ferraz
Imagem retirada da Internet

6 comentários:

Anónimo disse...

Adorei o texto :o

Jennyfer Aguillar disse...

Texto incrível,amei mesmo.
Faz as pessoas refletirem e acreditarem que são bonitas e realmente são.
Perfeito.
Parabéns querida.
Beijinhos Jenny ♥

Glória Almeida disse...

Linda é a sua essência, Marina Ferraz, para que nos possa dar tamanha beleza de palavras ...!!!
Obrigada por nos dar a oportunidade de a ler <3

Anónimo disse...

Interessante...Adimirável texto,identifiquei-me em cada linha.Parabéns pelo trabalho.
Rebeca Dias

Jessica A. disse...

Muito bom seu texto Marina, é realmente belo.
Amei <3

Anónimo disse...

Um jardim com rosas com sons e mensagens- tuas palavras. Aí você pega elas e escreve essas cartas lindas!
- Stefy