sexta-feira, 10 de fevereiro de 2006

Labirinto

A minha vida anda um labirinto. Perco-me em becos e a acho-me em caminhos, sem saber bem se o que quero é chegar ao fim ou voltar para trás.
Por vezes a vida fica triste, fica fria e aí penso que sair seria a solução, outras vezes encontro diamantes no caminho e guardo as pedras preciosas que aos olhos dos outros não são mais do que lixo.
Cada vez que me perco, cada vez que me encontro, cada vez que fecho os olhos tentando encontrar o melhor caminho a seguir, lembro-me que já arrisquei muitos dos meus "diamantes" e que agora é tarde para voltar atrás, é tarde para os recuperar. E então, mais conformada, sigo o caminho que erradamente escolhi para mim, acreditando que fiz o que estava certo e, o mais engraçado, é que acredito que fiz o que estava certo.
Acho que devia parar uns minutos e pensar no que fiz, ter noção que magoei pessoas, que desisti de sonhos, que mudei de rumo e que sempre, sempre o fiz sem pensar. Segui o que muitos chamam de "destino" e não me tornei mais feliz por isso.
Está na hora de ser eu a escrever o meu "livro" da vida, a dar os passos que me soam melhor. O que está feito, feito está. Não posso apagar o que fiz nem recuperar o que perdi, mas daqui para a frente posso-me tornar alguém melhor e ser mais feliz.
Afinal, "A felicidade não está na chegada mas sim nas curvas do caminho", não preciso de atravessar todo o labirinto da vida para encontrar a felicidade. Porque afinal, se virmos bem, não vamos viver para sempre e mesmo que a morte me leve, mesmo que a vida acabe dentro de pouco tempo, ia querer ter tido um momento de intensa felicidade.
Está na hora de parar de deitar fora os meus mais preciosos bens, afinal, nem todos os diamantes brilham de igual maneira...


Marina Ferraz

1 comentário:

thalya de jesus disse...

lindooo esse texto Marina, tem tudo a ver comigo nesse momento, os seus textos sempre me tocam, mesmo não tendo nada a ver com a situação, voce é uma ótima escritora!!! bjsss