terça-feira, 24 de abril de 2012

História d' encantar


Foi uma história de encantar. Uma história daquelas que embalam crianças e as fazem sorrir durante sono. Uma história de princesas e fadas e arco-íris. Foi de facto uma história maravilhosa. Lembrar-me-ei sempre dela como um sonho. Que realidade podia deixar cicatrizes doces?
Foi uma história bonita. A menina sonhadora que cresceu e encontrou o amor. A menina poeta que escreveu eternamente sobre o sentimento mais inexplicável de todos. Hão-de contar esta história. A história do amor, a história dos amantes, a história das certezas e dos risos e dos corações acelerados. Vão contar esta história muitas vezes...
Eu vou certamente contá-la. Vou contá-la aos ventos e às marés. Sussurrá-la aos ouvidos das sereias e das ondinas, para que a espalhem pelos sete mares. Vou contá-la às fadas para que a elevem aos céus e a façam cair, na forma de pó, sobre cada vulto adormecido. Não haverá ninguém no mundo que não saiba o que é o amor. Não haverá ninguém no mundo que não saiba que ainda há histórias de encantar.
Foi uma história de encantar. Uma história de amor a queimar a alma até haver apenas cinza. Uma história de paixão a rasgar a pele até haver só cicatrizes. A história da princesa desterrada que nunca teve um trono, que nunca teve um salvador. A história da menina que viveu no chão, numa prece constante por um pouco de céu.
Foi uma história de encantar. Daquelas que fazem rir. Daquelas cuja ironia passa ao lado dos ouvintes. Daquelas que as crianças gostam de ouvir na inconsciência e que perturbam os adultos. Uma história onde a felicidade veio no fim. Na derradeira página, onde a morte se assumiu e a personagem principal ficou finalmente só pela eternidade.
Vamos contar ao mundo. Um dia a menina sonhadora cresceu e encontrou o amor. A menina poeta escreveu eternamente sobre o sentimento mais inexplicável de todos. Um dia a menina percebeu que toda a gente é cega à dor dos outros e que é por isso que as histórias de encantar têm finais felizes...
Não podemos dizer ao mundo que a menina encontrou o amor e que isso a destruiu até não haver mais sonhos dentro dela. Não podemos contar que os poemas eram punhais a dilacerar um sentimento no qual ela queria deixar de acreditar.
É uma história de encantar. É assim que deve ser. Um sorriso no rosto e uma tiara imaginária sobre o cabelo dourado. Os olhos vendados à realidade. Mas para quê, se a dor está lá e fere, alastra, corrói?
Foi uma história bonita. Uma história tão bonita que a faz sorrir todas as noites antes de ir dormir... que a faz sorrir abertamente antes de pedir aos Deuses, numa prece ponderada, para não acordar nunca mais!

Marina Ferraz

*Imagem retirada da Internet

4 comentários:

Anónimo disse...

Gostei.....

Anónimo disse...

mais uma história de encantar...me encantou saber o que descreves, me desvenda e me descobre com essa sensibilidade á flor da pele...difícil não gostar, impossível não ler de um folêgo...muito bom, bj

Anónimo disse...

Quanto mais leio, mais lapidado fica o meu saber, e muito mais ainda dos textos lindos e belos, sigo de longe, sempre, bjs.Rick.

Larissa Souza disse...

Me encantei de verdade . É muito lindo , essa entrega sabe ? como se fosse real . A sensação que da é de que a alma foi doada ali sabe .. é tão profundo , sabe tão sincero , tão único . De fato é de se encantar .