terça-feira, 23 de setembro de 2014

Fazer chorar



Preciso que saibas. De todas as pessoas no mundo, és a que mais facilmente me faria chorar. Carregas nas tuas mãos um coração que já não é meu. Carregas-me a alma. E conheces de ambos cada ferida, cada cicatriz, cada defeito. Era um toque. Uma palavra, até. Bastaria. Com a maior das simplicidades, poderias fazer-me chorar.
Não há ninguém que possa arrancar-me dos olhos o glamour abençoado das lágrimas. Mas tu podes. Bastaria o silêncio, a ausência, o abandono simples. Bastaria um gesto pensado ou impensado e uma palavra atirada ao ar, no momento certo. Não era preciso muito. Conheces de mim coisas que nem os Deuses sabem. As feridas saradas podem doer e há tantas, tantas formas como poderias abri-las ou criar novas, que nunca sarassem.
Preciso que saibas. De todas as pessoas que pisam o solo da Terra, és aquela que mais poderia fazer-me sofrer. Não porque tenhas inata a capacidade de ferir. Não porque carregues contigo o peso da guerra ou a vontade da mágoa. Não porque a tua essência se dispa de pureza. És a pessoa que mais facilmente me faria sofrer porque eu te amo. Porque é muito mais fácil sermos feridos por aqueles que nos dizem mais. Porque as pessoas a quem queremos melhor são sempre as que conseguem chegar ao que fica sob o que de mais profundo existe em nós.
Tens de compreender. E sei que compreendes: eu só sou forte na superfície muralhada da minha pele. Tudo o resto é de cristal. Tudo o resto é papel amarrotado pelo tempo. Quebro e rasgo. Perco-me de mim. E tu, de entre todas as pessoas do mundo, és a que mais facilmente veria a muralha tombar para dar lugar à certeza incauta mas real de que sou igual a tantas outras pessoas emocionais e tontas. De entre todas as pessoas que existem, és talvez a única que, à partida, não vê a muralha que rodeia a minha alma débil e desajustada. E, por entre todas essas pessoas, serias talvez o único que conseguiria quebrar-me a muralha de forma tão irreparável que a minha alma ficasse nua e eu me perdesse a mendigar nas ruas do desespero.
É isto que preciso que saibas. De todas as pessoas no mundo, és a que mais facilmente me faria chorar. E isso não é uma coisa má. Poderias fazer-me chorar com facilidade. Poderias fazê-lo porque te amo e te quero. Porque me conheces melhor do que ninguém. Porque és alguém cuja opinião conta e cujos actos me movem.

Sim, de todas as pessoas no mundo, és a que mais facilmente me faria chorar. Mas, em vez disso, és aquela que me faz rir, aquela que me faz sorrir, aquela que me faz feliz. És a minha pessoa. Podias fazer-me chorar e às vezes fazes... mas quando estou contigo, se eu choro, é de felicidade.

Marina Ferraz

*Imagem retirada da Internet

2 comentários:

Tânia disse...

Que lindos texto e sentimento, Marina. Muito bem escrito.

BRANCA disse...

profunderimo...ja com saudades destes seus textos palavras vai ao fundo do coração ,sem palavras...